14 setembro 2015

Nota do SINDPROIFES-PA sobre o Ato em Defesa do Direito às aulas na UFPA

A partir das 09h da próxima terça-feira (15/09), estudantes, servidores e professores da UFPA farão um ato, em frente à reitoria daquela instituição, reivindicando o cumprimento do semestre letivo, aprovado em reunião do CONSEP, em junho deste ano, mas que vem sendo boicotado por um dos sindicatos da categoria, a ADUFPA. A greve que todos dizem ultrapassar 100 dias, não atinge a todos, informa Socorro Coelho, presidente do SINDPROIFES-PA, sindicato recém criado para representar os professores das instituições de ensino superior e organizador do ato em favor da normalidade e a volta às aulas.


A sindicalista denuncia que esta greve prejudica apenas alunos da graduação e da Escola de aplicação (antigo NPI), onde estão funcionando apenas os dois últimos anos do ensino médio. As séries iniciais, o Ensino Fundamental e o primeiro ano do Ensino Médio encontram-se com total falta de aulas. Apesar disso, Socorro Coelho afirma que a greve não foi consolidada, já que atividades de graduação das outras áreas e de outros campis da UFPA, seguem funcionando, mesmo sem um ou outro professor, como é o caso de Ananindeua, Bragança, Breves, Cametá e Castanhal.


Já na pós-graduação, os cursos de mestrado e doutorado seguem funcionando dentro da normalidade, assim como em outras áreas que funcionam sob protestos dos sindicalistas da ADUFPA/ANDES, que em nota na semana passada, noticiam o resultado da última assembleia realizada, onde com uma presença de apenas 50 docentes favoráveis e 16 contra, aprovaram a manutenção da greve de uma categoria que possui 2249 docentes efetivos.

Este sindicato, ADUFPA, por intermédio de sua página na internet, afirma que a matrícula dos estudantes para exercício do semestre estavam sendo suspensas pela administração da UFPA, o que até o presente momento não foi negado pelo reitor Carlos Maneschy. Tal fato visa unicamente impor a greve através da paralisação da máquina administrativa, sem o devido apoio da maioria dos professores e estudantes universitários que acreditam ser esta greve mal sucedida desde o nascedouro.

O SINDPROIFES-PA se manifesta contrário a esse método de fazer sindicalismo, considerado arcaico e autoritário e informa que realizará uma grande assembleia com os professores da UFPA, logo após a conclusão das negociações entre o governo federal e todas as entidades nacionais (inclusive a ANDES), que representam os servidores públicos federais da área da educação, o que deverá acontecer ainda esta semana, e que, aí sim, poderá nortear os rumos que a comunidade universitária deverá escolher livremente.

Confirme a sua participação no Ato em Defesa do Direito às aulas na UFPA e compartilhe com seus amigos https://goo.gl/DNpT86

Texto: SINDPROIFES-PA


CADEL — Gestão Unidos Pra Fazer Direito

0 pareceres:

Postar um comentário