24 maio 2017

PRECISAMOS FALAR SOBRE O RACISMO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

O Centro Acadêmico de Direito Edson Luís vem a público manifestar-se sobre os casos de racismo na Universidade Federal do Pará, especialmente os mais recentes. Na última sexta-feira (19), durante o evento intitulado “Calourada de Serviço Social”, ocorrido no pavilhão K do campus Profissional, duas das placas dos formandos de Direito foram riscadas com os dizeres “Fora Brancos”, gerando polêmica na comunidade acadêmica e mais ainda nas redes sociais, nas quais foram proferidos comentários de cunho racista e discriminatório, perpetuando a opressão histórica e social que existe contra a população negra no Brasil. O CADEL, como representação estudantil, desaprova qualquer tipo de dano ao patrimônio, enxergando outros caminhos para o combate ao racismo. Entretanto, repudia os comentários racistas relativos ao ocorrido, compreendendo a necessidade de buscar soluções institucionais para combater o racismo na Universidade. 

Infelizmente, os casos de discriminação são recorrentes, com uma gama de situações intoleráveis envolvendo racismo dentro da UFPA. Há relatos de estudantes negros barrados pela segurança do campus, com abordagens violentas e discriminatórias, como ocorreu na mesma sexta-feira, com um estudante de serviço social que se dirigia a referida Calourada. Entendemos que o combate ao racismo é essencial nesse contexto, ressaltando que o respeito à diversidade racial, étnica e cultural dos seres humanos é um dos princípios basilares da atual gestão do Centro Acadêmico. A Faculdade de Direito ainda é majoritariamente branca, e apesar das políticas de cotas terem ajudado a mudar essa realidade, ainda temos um quantitativo baixo de pessoas negras na FAD. 
A diversidade é elemento fundamental em uma democracia, especialmente no que tange à liberdade de pensamento e ao pluralismo de ideias. A partir disso, o CADEL vem propor alguns encaminhamentos para combater efetivamente o racismo existente na Universidade. Na próxima terça-feira, 30, a diretoria de Direitos Humanos e Movimentos Sociais realizará o “Cine Debate: Discriminação Racial”, com o intuito de ampliar o debate acerca do assunto com a Comunidade Acadêmica. Promoveremos também uma campanha permanente de conscientização e combate ao racismo, em parceria com o ICJ, com cartilhas contendo informações gerais acerca do tema, instruções sobre como proceder ao ser vítima de racismo e estatísticas que demonstrem essa realidade dentro do curso de Direito. Ademais, haverá a confecção de cartazes pelos próprios estudantes e materiais audiovisuais a serem postados nas mídias sociais, por compreendermos que acesso à informação é ponto crucial no combate ao racismo.
Outra medida a ser tomada será um projeto de tutoria, também em parceria com o Instituto, para auxiliar os estudantes cotistas que apresentarem índice de rendimento acadêmico abaixo do esperado, como forma de reduzir a evasão desses alunos do curso de Direito, como vem ocorrendo. Além disso, o CADEL, junto ao CAEC (Centro Acadêmico de Engenharia Civil), requerem ao Conselho Superior de Administração da UFPA (CONSAD) a criação de uma Comissão de Acompanhamento da Segurança da UFPA, um órgão composto por seguranças, servidores e estudantes, como forma de fiscalizar e aprimorar o trabalho da segurança, para evitar abordagens violentas e discriminatórias, com mecanismos de apuração das situações desse tipo que vierem a ocorrer.
Com efeito, ressaltamos que este Centro Acadêmico está sempre aberto e disposto a dialogar com a comunidade sobre essas questões, de modo que críticas e sugestões de medidas para o combate ao racismo dentro da UFPA serão sempre bem recebidas. Outrossim, a diretoria se dispõe a auxiliar os estudantes que sofrerem qualquer tipo de discriminação, de modo a buscar os encaminhamentos cabíveis para esses acontecimentos. Lembramos também da ouvidoria existente em nosso site, na qual qualquer situação de racismo pode ser relatada para que o Centro Acadêmico tenha ciência e busque soluções.
O CADEL considera qualquer atitude racista intolerável e terá uma postura combativa ante a qualquer tipo de discriminação dentro e fora da Faculdade de Direito.


A Diretoria do Centro Acadêmico.







0 pareceres:

Postar um comentário