29 junho 2017

28 de junho: Dia Mundial do Orgulho LGBT

Desde 28 de junho de 1969, com o incidente acontecido no bar Stonewall Inn, em Nova Iorque, no qual indivíduos pertencentes ao grupo social LGBT resistiram à opressão policial (realizada frequentemente naquele local contra o público citado). Porquanto, neste dia, a partir do ano posterior (1970), começou-se com o movimento e realização das Paradas Gay – hoje difundida e efetivada em muitos países pelo globo.
Estudiosos e curiosos afirmam que a escolha da palavra "orgulho" para o título da data comemorativa (SIM) vem fazer alusão e contraposição à palavra "vergonha". O Dia Mundial do Orgulho LGBT é uma data para se trazer à luz tanto o reconhecimento da diversidade como os preconceitos que circundam a sociedade hodierna (e de outrora).

Vivemos em uma comunidade global sexista, machista e preconceituosa rente as diversidades e adversidades – herança do passado hostil e segregador, lato sensu – a qual, na presente data mostra-se antipática, pois não dá-se a devida visibilidade aos acontecimentos e realizações da comunidade LGBT sob a luz do significado deste dia. Não é apenas mais um dia para que todos digam "legal que o mundo está ratificando as lutas sociais de alguns grupos sociais", mas para ser um ser ativo e político – características inerentes ao humano – e, assim, trazer validade aos pleitos e gritos desta parte da comunidade que tanto sofre nas mãos do sistema.
Ademais, antes mesmo da parte externa ao grupo legitimar as demandas, que aqueles que se encontram inseridos ao campo LGBT se orgulhem de serem quem são; que se unam e tornem cada dia mais forte e dialógica o ente social que tais compõem.

É um dia para não se ter vergonha de expressar sua sexualidade – vivamos um dia de cada vez e com a certeza de que não há seres superiores ou inferiores. Não se permita deixar ser controlado pelos estereótipos e ditames do sistema que rege nossa sociedade na contemporaneidade. Sigamos firmes na luta pelo respeito tanto aos direitos como ao ser/ente que temos e somos.

0 pareceres:

Postar um comentário