I Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão

Evento ocorrerá nos dias 12 e 13 de junho.

CADEL TRAZ ENED 2018 PARA BELÉM

A REGIÃO NORTE RETOMA O SEU PROTAGONISMO NO MOVIMENTO ESTUDANTIL E O CADEL COLOCA-SE NOVAMENTE COMO UM CENTRO ACADÊMICO RELEVANTE NACIONALMENTE.

14 agosto 2018

PROJETO DE MONITORIA: Organização do Estado e dos Poderes

EDITAL de seleção de Bolsistas para o projeto de monitoria intitulado "A Jurisprudência do Supremo Tribunal Federal como instrumento para desenvolver a compreensão e a crítica na disciplina Organização do Estado e dos Poderes".



O Prof.Dr. RONALD CORECHA BASTOS, nos termos do Edital PROEG/UFPA nº 04/2018 e no uso de suas atribuições, torna pública a abertura de inscrições para o Processo de Seleção Simplificado, com vistas à seleção de Bolsistas para 02 (duas) vagas, a fim de atuarem no Projeto de Monitoria acima mencionado, vinculado ao PGRAD/PROEG/UFPA. 


Período de inscrições: 10/08/2018 até 15/08/2018.
Segue o edital.


Lançamento da obra “PROVOCAÇÕES CONTEMPORÂNEAS NO DIREITO DO CONSUMIDOR”

Lançamento da obra “PROVOCAÇÕES CONTEMPORÂNEAS NO DIREITO DO CONSUMIDOR” dos autores DENNIS VERBICARO, CAMILLE ATAÍDE e CARLOS ACIOLI.

Local: CESUPA (Alcindo Cacela n.980 - Bloco de Direito)
Data: 16/08/2018
Hora: 19h

LANÇAMENTO DO LIVRO “DISPENSA COLETIVA - A falácia da prevalência do negociado sobre o legislado”

LANÇAMENTO DO LIVRO DO PROF. MÁRIO SÉRGIO BELTRÃO PAMPLONA! 
“DISPENSA COLETIVA - A falácia da prevalência do negociado sobre o legislado” 

Local: loja SARAIVA do Boulevard Shopping 
Data: 25 de agosto de 2018 
Hora: 16h 

EVENTO IMPERDÍVEL!!

OPORTUNIDADE DE ESTÁGIO NO MPPA

MP/PA está realizando uma seleção para cadastro de reserva de estagiários no período de 06/08/2018 até 17/08/2018.  As inscrições estão sendo realizadas no site: https://www2.mppa.mp.br/selecaoestagiario/.

Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE)

O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) é uma avaliação acerca do desempenho dos estudantes concluintes e ingressantes da graduação. Esse exame tem caráter OBRIGATÓRIO para todos os discentes que iniciaram ou terminarão a graduação no ano vigente. Seus resultados são utilizados para realizar o cálculo dos indicadores de qualidade da educação superior (o conceito enade, conceito preliminar de curso - cpc e Índice Geral dos Cursos Avaliados da Instituição - IGC). Caso o estudante não realize a avaliação, sua situação constará como irregular no seu histórico escolar, impossibilitando a conclusão do curso de graduação. O ICJ disponibilizou uma lista com o nome dos alunos que precisaram realizar a prova do ENADE, o link está abaixo. O cadastro será do dia 14/08/2018 até o dia 21/11/2018, NÃO PERCAM!!!

Edital ENADE: http://portal.inep.gov.br/enade

Lista de alunos ingressantes e concluintes que precisam realizar o exame: http://icj.ufpa.br/index.php?option=com_content&view=article&id=279

MÊS DA ADVOCACIA! MÊS DA SOLIDARIEDADE! PARTICIPE!

Programação
*MINI CURSOS ESA - dia 21 de agosto: Tributário, Processo Penal, Teoria do Direito e Direito Ambiental.

Inscrição para cada mini curso: 1kg de alimento não perecível para doação.

*PALESTRA - 22 de Agosto: Abordagem da qualificadora do Feminicídio e o combate à violência de gênero.

Inscrição: 1kg de alimento não perecível.

* PAINEL - 23 de Agosto: Perspectiva das políticas públicas para o terceiro setor no Pará

Inscrição: 1kg de alimento não perecível

* MINICURSO- 24 e 25 de agosto: Direito do consumidor - prática nos tribunais.

Inscrição: 2kg de alimento não perecível.

Informações e Inscrições na Secretaria da ESA. 4006 8667



11 agosto 2018

Dia da Advocacia!


O dia 11 de Agosto é o dia da Advocacia - um papel tão fundamental para a administração e execução da Justiça, e que, ao mesmo tempo, acarreta tantos desafios em seu exercício.
Parabenizamos todos os advogados e advogadas de nosso país e desejamos que a construção de suas carreiras se fundamentem na busca pelo que é justo.


                     

09 agosto 2018

Dia dos povos indígenas!


Como uma referência ao dia da primeira reunião do Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Populações Indígenas, realizada em Genebra, em 1982, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) instituiu em dezembro de 1994 o Dia Internacional dos Povos Indígenas.
Hoje é dia dos Apaches, dos Náuatles, dos Warao, dos Kayapó, dos Caxin auás, dos Inuítes, dos Tupinambás, dos Ciboneis, dos nossos vizinhos Tembé e de tantos outros povos indígenas espalhados pelo mundo que existem e resistem às adversidades impostas aos seus costumes. 
Um dia que se respira a luta para que direitos ameaçados continuem sendo respeitados para mais de 370 milhões de indígenas espalhados por 90 países que, de acordo com um levantamento feito pela ONU, vivem com taxas desproporcionais de miséria, problemas de saúde, analfabetismo e abusos dos direitos humanos. 
Por ser mais que um dia de comemoração, um dia como o dia de hoje não deve passar em branco. A data tem a importância de conscientizar sobre a inclusão dos povos indígenas nos direitos humanos, sendo que muitas vezes eles são marginalizados ou excluídos da sociedade, além de prestar homenagem a todas as contribuições culturais e sabedorias milenares que esses povos transmitiram para as mais diversas civilizações no mundo.


 “Não nos sentimos aculturadas,
Temos a memória acesa,
E vivemos na certeza de que nossa aldeia
Resistirá sempre ao preconceito do invasor,
Somos a voz que ecoa. Resistência? Sim senhor!”

Poema “Amazonidas” de Márcia Wayna Kambeba

31 julho 2018

Seleção de bolsista PIBIC



O projeto "Instrumentos fiscais, empresas, meio ambiente" da Profa. Dra. Luma Scaff oferta 1 (uma) vaga para bolsista, a partir do 6° semestre. 
Para inscrever-se é só mandar os documentos necessários para o email: lumascaff@yahoo.com.br

Mais informações no edital!




25 julho 2018

No dia de hoje é comemorado o dia da Mulher Negra Latina e Caribenha, em homenagem a este dia o CADEL trouxe uma série de mulheres incríveis que conquistaram seu espaço apesar de toda luta.


•TANYA DUARTE: Passou a vida escutando que não era mexicana e sofrendo descriminação por causa de sua cor. Hoje Tanya é professora de medicina Maia, ativista e uma das organizadoras do projeto Afrodescendência México, que tem como objetivo resgatar, preservar e compartilhar história, cultura, arte, medicina, crenças e educação africana e caribenha. 

 • SÔNIA GUIMARÃES: Filha de tapeceiro e comerciante, saiu da sua casa aos 19 anos quando passou a ser a primeira mulher da família a cursar uma faculdade. Formada em Física pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Sônia fez mestrado e doutorado (um deles sendo na Inglaterra) e em 1993 passou a ser a primeira professora negra a dar aula no ITA.


• ANA FABRICIA CÓRDOBA: Conheceu a violência desde criança quando seus pais tiveram que sair da sua cidade natal Tibú e se mudar para Urabá, por causa da guerra entre liberais e conservadores na Colômbia (1948-1960). Depois de ter seu marido assassinado por paramilitares, e dois de seus cinco filhos em 2000. Córdoba, foi uma das fundadoras da orgânica Adelante por un Tijido Humano de Paz (Latepaz) e se juntou à Rota Pacífica das mulheres, em busca por uma saída pacífica para o conflito armado. Em 2011 Córdoba foi ao governo pedir ajuda “Vão me matar e ninguém faz nada.” No mesmo ano ela foi assassinada com um tiro na cabeça enquanto fazia uma viagem de volta à Medellín. 

Dia da mulher Negra Latina e Caribenha.

Segundo dados do IBGE a população negra corresponde a 54% dos brasileiros. Na América latina e no Caribe mais de 200 milhões de pessoas se consideram negros. Apesar disso ainda é a população que mais sofre com a pobreza, quando se trata de mulheres negras a situação é ainda pior. De acordo com a ONU dos 25 países com maiores números de feminicídio no mundo, 15 ficam na América Latina e no Caribe. 
De acordo com o Mapa da Violência, o numero de homicídios de mulheres negras aumentaram mais de 50% nos últimos 10 anos no Brasil, passando de 1.864, em 2003, para 2.875, em 2013. 
Não podendo ocupar espaços de voz em mídias, cargos de chefia ou cargos no governo, há 25 anos um grupo de mulheres decidiram se juntar para fazer serem ouvidas. Em 1992 elas organizaram o primeiro encontro de mulheres negras latinas e caribenhas, onde discutiram sobre machismo, racismo e em formas de combatê-los. Desde então o dia 25 de julho é reconhecido pela ONU como o dia da Mulher Negra Latina e Caribenha. A data não tem como intuito comemorar e sim fortalecer a luta e trazer maior visibilidade para o movimento, além de pressionar o poder público.


20 julho 2018

Já está disponível o edital para submissão de trabalhos na JCEJ

     O CADEL e a Comissão Organizadora da I Jornada Científica de Estudos Jurídicos tornam público o edital de abertura de inscrições de artigos e resumos expandidos para apresentação Oral. O evento é uma realização do Centro Acadêmico de Direito Edson Luís (CADEL) e do Instituto de Ciências Jurídicas da Universidade Federal do Pará (ICJ-UFPA) e ocorrerá nos dias 22 e 23 de Outubro de 2018, no ICJ.
Inscrições
     Podem se inscrever todos os alunos dos cursos de graduação e pós-graduação em direito e áreas afins, bem como bacharéis e profissionais da área jurídica ou afins. A seleção dos trabalhos para apresentação será feita a partir da submissão dos artigos e resumos expandidos. A efetivação da inscrição do trabalho está condicionada a inscrição do autor no evento. Além disso, cada participante poderá submeter no máximo 2 (dois) trabalhos, podendo cada trabalho ter no máximo 2 (dois) autores.
    O período para submissão dos trabalhos é de 18/07/2018 a 10/10/2018.
    Os eixos temáticos disponíveis são: Direito do Estado; Direito do Consumidor; Direito Financeiro; Direito Civil; Direito Internacional; Teoria do Direito; Direito Processual; Direito do Trabalho; Direito Penal; Direito Socioambiental; Direito Empresarial; e Direito e Proteção aos Vulneráveis.
     Para mais informações acesse o Edital

14 julho 2018

Bolsas nos Cursos Livre de idiomas da UFPA

Você, estudante da UFPA que quer estudar inglês, francês ou espanhol e não tem condições de pagar pelo curso, estamos com inscrições abertas para bolsas de línguas estrangeiras nos Cursos Livres do Instituto de Letras e Comunicação. O projeto PRÓLÍNGUAS objetiva proporcionar aos nossos estudantes em vulnerabilidade socioeconômica a oportunidade de formação e fluência em outra língua para a ampliação da qualificação acadêmica e cultural. 




Acesse: saest.ufpa. br

13 julho 2018

28 anos do Estatudo da Criança e do Adolescente

28 ANOS DE ECA


Datada de 13 de julho de 1990, a Lei nº. 8.069, também conhecida por Estatuto da Criança e do Adolescente insurgiu no ordenamento jurídico brasileiro com a finalidade de dispor a respeito dos direitos e deveres inerentes aos menores de dezoito anos de idade, tão somente possibilitando um tratamento diferenciado aos mesmos, por meio das medidas protetivas e da reafirmação de uma série de direitos até mesmo constitucionais, como o acesso ao lazer, à cultura, a saúde e a liberdade. Ademais, é importante ressaltar que, para o ECA, crianças serão entendidas como sendo as pessoas com idade de até doze anos, tão somente será adolescente as que tiverem idade compreendida entre o intervalo de doze e dezoito anos.
Tamanha é a importância do Estatuto, dada à necessidade de tratamento distinto da sociedade para com os menores de idade, visto que, os mesmos encontram-se em estágio de desenvolvimento tanto físico quanto mental e moral – devendo este ocorrer conforme as previsões de respeito à dignidade humana, dispostas sobretudo no art. 5º do texto da Constituição Federal de 1988.
Seguindo a configuração das demais legislações especializadas do ramo jurídico brasileiro, o Estatuto da Criança e do Adolescente tão somente encontra-se organizado em suas partes geral e especial, sendo esta segunda fundamental no âmbito da regulamentação dos meios que serão utilizados para executar as políticas de atendimento, do conselho tutelar e de acesso às medidas socioeducativas e, principalmente, a apuração dos chamados atos infracionais.
Por fim, é notória a necessidade de maiores ponderações a respeito do tema, a falta de conhecimento por parte de crianças, adolescentes e, principalmente, dos responsáveis corrobora para a precarização do desenvolvimento dos menores, o que implica em uma inserção desproporcional do jovem na sociedade, o que tão somente atenta aos direitos fundamentais balizados no texto da lei. O Estatuto da Criança e do Adolescente apresenta-se como o “reconhecimento” de que os mesmos devem ser prioridade do Estado. Hoje, no dia de seu aniversário de 28 anos é importante tratar a respeito do avanço legislativo propiciado pelo Estatuto, como consequência, espera-se que esta evolução sirva de alento para os anos que ainda estão por vir. 


Bibliografia
BRASIL. (5 de Outubro de 1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Acesso em 12 de 7 de 2018, disponível em Constituição Federal: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm
BRASIL. (13 de Jul de 1990). Lei n. 8.069, de 13 de jul. de 1990. Acesso em 12 de 7 de 2018, disponível em Estatuto da Criança e do Adolescente: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm
VIEGAS, C. M., & RABELO, C. L. (Novembro de 2011). Principais Considerações Sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente. Revista Âmbito Jurídico.

09 julho 2018

I Jornada Científica de Estudos Jurídicos

Atendendo a sugestões, o evento que previamente foi anunciado como Jornada jurídico-científica teve seu nome alterado para Jornada Científica de Estudos Jurídicos. A troca dos nomes se deu para que o novo nome possa tornar mais claros os intuitos do evento.
O evento ocorrerá nos dias 22 e 23 de Outubro, no Pavilhão de aulas do Profissional, Bloco J, na UFPa, com o intuito de promover um espaço para que a pesquisa seja cada vez mais fomentada entre os alunos desde o início de sua graduação! Em breve, maiores informações, fique ligado! A I Jornada Científica de Estudos Jurídicos é a reconfiguração da Semana Acadêmica, evento que ocorria anualmente, buscando fomentar um maior contato dos discentes com a pesquisa, atendendo aos mais diversos campos do direito

08 julho 2018

Nota de apoio aos discentes indígenas da UFPA

NOTA DE APOIO


O Centro Acadêmico de Direito Edson Luís (CADEL) manifesta o seu total apoio aos estudantes indígenas que foram vítimas de mais um caso de racismo e intolerância dentro da Universidade, no dia 04 de julho. É lamentável e inaceitável que tal situação ainda se  perpetue em um ambiente que deveria fomentar a diversidade e o respeito mútuo.

Compartilhamos do repúdio expressado pela nota publicada pela Associação dos Povos Indígenas Estudantes na Universidade Federal do Pará (APYEUFPA), pois o preconceito étnico-racial é um dos principais obstáculos para que os indígenas ocupem efetivamente os espaços pertencentes a eles, mas não reconhecidos como tais. Por isso, precisa ser combatido em todas as esferas e por todos.





06 julho 2018

Seleção de bolsistas e voluntários para a Clínica de Direitos Humanos da Amazônia




Inscrições prorrogadas para o Processo Seletivo da Clínica de Direitos Humanos da Amazônia até dia 09/07!
Para ter acesso ao Edital do Processo Seletivo: http://www.icj.ufpa.br/index.php?option=com_content&view=article&id=266

03 julho 2018

I Jornada Jurídico-Científica

É com grande satisfação que o CADEL convida todos a participarem e se inscrevem em nossa I JORNADA JURÍDICO-CIENTÍFICA. O evento ocorrerá nos dias 22 e 23 de Outubro, no Pavilhão de aulas do Profissional, Bloco J, na UFPa, com o intuito de promover um espaço para que a pesquisa seja cada vez mais fomentada entre os alunos desde o início de sua graduação! 
Em breve, maiores informações, fique ligado!
 A I Jornada Jurídico-Científica é a reconfiguração da Semana Acadêmica, evento que ocorria anualmente, buscando fomentar um maior contato dos discentes com a pesquisa, atendendo aos mais diversos campos do direito

29 junho 2018

Parabéns aos aprovados na OAB!

Sabemos que o final do curso é sempre cheio de desafios e momentos marcantes. Entre TCCs e formaturas, certamente um dos momentos mais decisivos para os concluintes e recém formados é o exame da Ordem dos Advogados do Brasil. A advocacia é um caminho desafiador, que constantemente exige o melhor de nós, em termos de capacidade e de valores. Por isso, parabenizamos todos os que foram aprovados e desejamos aos nossos novos advogados uma excelente carreira pela frente!


24 junho 2018

4° Reunião Ordinária Do CADEL

O Centro Acadêmico de Direito Edson Luís tem a satisfação de convidar todos os alunos para a 4° Reunião Ordinária Do CADEL. Ocorrerá no dia 29/06/2017, Sexta-feira, no pavilhão de salas do Bloco J, campus profissional da UFPA.


Mais informações na nossa convocatória.


21 junho 2018

Manual de uso do elevador já disponível!




O CADEL tem a satisfação de informar que o elevador do bloco está em pleno funcionamento, viabilizando a acessibilidade ao segundo pavimento.  Para que assim se preserve, pedimos que todos os alunos atentem para o seu manual de utilização, que está colado na parede ao lado do elevador.

14 junho 2018

PESQUISA DE OPINIÃO MOSTRA APOIO DOS ESTUDANTES E DESCONFIANÇA NA RESOLUÇÃO DAS DENÚNCIAS



O Centro Acadêmico de Direito Edson Luís torna pública Pesquisa de Opinião realizada entre os estudantes de Direito da UFPA, em relação às denúncias ocorridas nos últimos dias. A Pesquisa ocorreu no dia 13 de Junho, nos corredores do Bloco J, e entrevistou 220 alunos, sendo realizadas cinco perguntas, abaixo detalhadas.

A primeira pergunta foi "VOCÊ ACREDITA QUE AS DENÚNCIAS REALIZADAS EM CARTAZES, ESPALHADOS PELO BLOCO J, SÃO VERDADE?", obtendo 215 respostas SIM (97,7%), 2 respostas NÃO (0,9%) e 3 respostas PREFIRO NÃO RESPONDER (1,3%).


 A segunda pergunta foi "VOCÊ CONCORDA COM AS DENÚNCIAS E A MANIFESTAÇÃO?", obtendo 210 respostas SIM (95,4%) e 10 NÃO (4,5%).


A terceira pergunta foi "VOCÊ JÁ PRESENCIOU OU FOI VÍTIMA DE ALGUMA DAS DENÚNCIAS?", obtendo 195 respostas SIM (88,6%) e 25 respostas NÃO (11,3%).



A quarta pergunta foi "VOCÊ SE SENTIRIA CONFORTÁVEL E SEGURO EM DENUNCIAR ALGUM CASO À FACULDADE DE DIREITO OU AO INSTITUTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS?", obtendo 92 respostas SIM (41,8%), 123 respostas NÃO (55,9%) e 5 respostas PREFIRO NÃO RESPONDER (2,2%).



Por fim, a quinta pergunta foi "VOCÊ ACREDITA QUE A FACULDADE DE DIREITO E O INSTITUTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS TÊM SOLUCIONADO CORRETAMENTE OS CASOS DENUNCIADOS?", obtendo 11 respostas SIM (5,0%), 180 respostas NÃO (81,8%) e 29 respostas PREFIRO NÃO RESPONDER (13,1%).



Mais informações acerca da pesquisa aqui: https://drive.google.com/file/d/1RVg2I8-lXBmUxmFutTv1rK1UOemJcNaS/view?usp=drivesdk




02 junho 2018


CURSO DE ORATÓRIA: Formação de Tribunos
Realizado pelo CADEL em parceria com o IPDD. 

➡️ Turnos e Horários: 
👉🏽 Tarde: 14:00 até 18:00. 
👉🏽 Noite: 18:30 até 21:40.
➡️ Número de Vagas: Cada turma terá 16 (dezesseis) vagas, sendo que 1 (uma) destas será ofertada para Pessoas Com Deficiência (PCD).
➡️ Datas dos Encontros:
👉🏽 Módulo I: 4, 6, 11, 13 e 18 de Junho*
👉🏽 Módulo II: 20 de junho*
👉🏽 Júri: 4 de Julho*
*As datas poderão sofrer alterações caso se torne necessário. 
➡️ O Curso é gratuito e será ofertado aos discentes do Curso de Direito da UFPA. 

A seguir, link de acesso ao Formulário de Inscrição:

Link para Inscrição

29 maio 2018

Nota de Esclarecimento - I Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão




O Centro Acadêmico de Direito Edson Luís torna público que, ao informar ao ICJ as dúvidas de muitos alunos, monitores e pesquisadores, acerca da obrigatoriedade de participação no I Seminário de Ensino, Pesquisa e Extensão do ICJ, recebemos os seguintes esclarecimentos:

➡ O prazo de inscrição foi prorrogado para o dia 04/06/2018.

➡ Todos os alunos vinculados a projetos de ensino (monitoria), pesquisa e extensão devem participar, sejam eles bolsistas ou voluntários. Não há uma penalidade para o discente que não participar, mas isso pode prejudicar o(a) docente/orientador(a) porque é um dos requisitos exigidos para eventual renovação do projeto ou aprovação de outro projeto.

➡ Na monitoria, mesmo voluntária, o professor precisa ter projeto de ensino. Então, o resumo deve ser de acordo com o plano de trabalho do aluno no projeto de ensino do professor. O aluno deve relatar suas atividades, identificar os avanços para o ensino, etc.

27 maio 2018

Alunos da UFPA participam da 1° Competição de Processo Civil

Entre os dias 16 e 18 de maio ocorreu a “I Competição de Processo Civil: Prof. José Carlos Babosa Moreira”, no Rio de Janeiro.  A competição consistia em duas fases: uma fase escrita, de entrega de memoriais, e a fase oral, de defesa dos memoriais pelos oradores.
O CADEL parabeniza os alunos Tunny Moda, Attilio Aood, Matheus Dias Ferreira, Sérgio Tibúrcio, Rebeca Nunes e Tyane Melo, que, sob a orientação da Profª Gisele Góes, do Profº Sandoval Alves e do Profº Fabricio Oliveira, representaram a UFPA nesse evento, fazendo da nossa universidade a única representante da região norte na competição.

21 maio 2018

ICJ realiza I Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão.

O Instituto de Ciências Jurídicas da UFPA fará nos dias 12 e 13 de junho o I Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão. Que ocorrerá no auditório do ICJ – Hailton Corrêa.
Venha participar, submetendo sua pesquisa e/ou sua extensão e conhecendo um pouco da produção cientifica do ICJ.
As submissões de resumo serão do dia 20/05/2018 até o dia 31/05/2018, mais informações no edital.
Inscrições abertas.



Link para inscrições:
https://isiepeicj.vpeventos.com/pagi…/3-inscri%C3%A7%C3%B5es
Link do Edital:
https://isiepeicj.vpeventos.com/pagina/5-edital

13 maio 2018

130 anos de liberdade, realidade ou ilusão?


130 anos se passaram desde a assinatura da Lei Áurea, porém os direitos dos negros ainda não estão completamente efetivados. No papel, as letras reluzentes trazem palavras gloriosas proclamando igualdade entre todos. Entretanto, jovens negros são assassinados todos os dias, representando 77% dos jovens mortos, segundo dados da Anistia Internacional. A liberdade formal existe sim, todavia, após mais de um século a luta continua, o dia 13 se maio não é uma data comemorativa, mas sim de conscientização e resistência, de luta por uma sociedade igual e justa. Nas palavras de Martin Luther King, "Cem anos mais tarde, a vida do negro ainda é duramente tolhida pelas algemas da segregação e os grilhos da discriminação."

Mães Universitárias

Sua essência é o amor

O maior dom que qualquer ser humano poderia receber é o de ser mãe. A dádiva de carregar no ventre uma vida, de acalentar tão pequenas crianças, ensinar-lhes as primeiras letras e os primeiros passos. Ser mãe é a forma mais divina e encantadora de amor. É ela quem está conosco nos nossos momentos difíceis, quem está torcendo por nós a todo o instante, ela que é mãe e pai Brasil afora, são elas que sofrem e se sacrificam. 
Ser mãe e ser estudante não é fácil... acordar cedinho para ajeitar o filho e depois levar na escola, daí ir enfrentar uma manhã árdua de estágio, recebendo ou mandando, hora ou outra, mensagens querendo saber sobre o filho... é preocupante! E aquele intervalo no almoço? É todo dedicado para saber se ele está bem, se precisa de alguma coisa, se foi comportado... depois vêm as aulas e é uma divisão de atenção, entre o seu acalanto e o professor, às vezes até leva a criança para a faculdade, por não ter com quem deixar! Vida de mãe universitária não é fácil, não! 
De noitinha, mesmo cansada, vai ajudar o filho, brincar e encher de carinho, fazer a janta e colocar o pimpolho na cama, com as habituais cobranças (Fez o dever de casa? Tomou a benção da avó? Escovou os dentes?) e, mesmo depois desse dia extenuante que se repete por vários outros dias, ela não se cansa, porque os seus filhos são parte dela e sua essência é o amor. 

A todas as mães universitárias do Direito, feliz dia das mães! O CADEL tem orgulho da força que vocês têm e vocês são a nossa inspiração!







13 de Maio- Mães negras, Mães de santo


Odoyá, iemanjá; saluba nanã
Eparrei oyá
Orayê yê o, oxum
Oba xi obá


Mães negras, Mães de Santo... essas mulheres que são matriarcas de tantas famílias de descendentes de escravos, sofrem com a dor diária de serem perseguidas por sua crença e por sua cor. Em 13 de Maio de 1888 foi proclamada a Abolição da Escravatura, mas elas continuaram vivendo em um cativeiro social, rechaçadas da sociedade com seus cultos de matriz afro, chamadas de “Filhas do Demônio”, tiveram que se esconder de seus algozes e, mesmo depois de um século, outros algozes continuam a fazer as mesmas coisas com essas mulheres. 
Mãe Menininha do Gantois, Tia Ciata, Mãe Stella de Oxóssi, entre tantas outras que ajudaram a criar a cultura, os costumes e fomentar o que é o Brasil de hoje, estão sendo apagadas da história e demonizadas. De nada valeu a Lei Aurea e a Constituição Federal, que são, frente a tudo isso, pedaços de papel com palavras bonitas, quando o que precisamos é de ações efetivas, em uma sociedade ainda arraigada de preconceito racial (Mesmo após tentarem infundir em nós o mito da “Democracia Racial”) e da intolerância religiosa. 
Nesse 13 de Maio, dia das mães, pedimos reverência e proteção a essas mulheres e seus filhos. Que a sua cor e as suas crenças sejam respeitados. 

Axé Nkenda! É o pedido do Centro Acadêmico de Direito Edson Luís.

Programa Institucional de Auxílio à Viagem Acadêmica


Teve seu trabalho aprovado em algum evento? Não tem dinheiro pra fazer a viagem?
-
A PROEX, pensando em estimular a produção científica, criou o AVA, o Programa Institucional de Auxílio à Viagem Acadêmica, um auxílio financeiro aos estudantes da Graduação que tiveram seus trabalhos aprovados em eventos acadêmicos em outra localidade.
-
Vejam os requisitos para participar do programa:

✅Estar regularmente matriculado em um curso de Graduação na UFPA;

✅Ter trabalho aprovado, com carta de aceite;

✅Apresentar CRG a partir de 5;

✅Não ter pendências com auxílios recebidos em editais da PROEX;

✅Se bolsista de extensão em ano anterior, estar adimplente com Relatório de Bolsa de Extensão;

✅Preencher o questionário socioeconômico no SIGAEST;

✅Apresentar a documentação necessária;

✅Apresentar dados bancários pessoais e

✅Não ter utilizado o edital AVA em 2018. 

Tenha acesso ao edital aqui.

07 maio 2018

130 anos depois - Universidade pra quem?


"... Por muito tempo as pessoas se recusaram a acabar com a escravidão. A brutalidade de um trauma violento pode ser mais fácil de suportar do que a brutalidade da insignificância.", essas são as palavras de Mahommah Garfo Baquaqua, ex-escravo pernambucano que as profere em sua auto-biografia publicada em 1854 no Estados Unidos. Neste livro ele relata os anos que passou servindo ao seu senhor, o qual ele define como um tirano nunca satisfeito, e o processo que sofreu desde sua saída da África até a chegada no Brasil. Baquaqua, como muitos outros escravos, preferia a morte do que se submeter às injustiças diárias, entretanto, sua tentativa não funcionou e ele foi severamente punido por suas atitudes. Não existia empatia pelo o que os escravos passavam, eles apenas eram vistos como objetos descartáveis, sem sentimentos, racionalidade e direitos. 
O movimento abolicionista no Brasil só começa a ser fortalecido em 1870, vinte anos após a abolição do tráfico negreiro, sendo mais visto como uma vantagem econômica pelos ingleses do que de fato uma luta por direitos e emancipação. Só dezoito anos depois, no dia 13 de maio de 1888, a Princesa Isabel assina a lei Áurea, denominada assim graças ao caráter glorioso da lei, que por fim a exploração desumana de trabalho. Um documento de apenas dois artigos, o qual garantiu a liberdade formal de milhares de pessoas.
Mesmo sendo a "Lei de ouro", a sanção desta não trouxe grandes mudanças na vida dos escravos tendo em vista que esse ganharam a liberdade formal, contudo, não tiveram nenhum apoio para se inserir na sociedade brasileira, muitos foram empurrados para os morros e favelas. Sem qualificação para conseguir empregos, viviam mendigando ou procuravam trabalhos com seus antigos senhores. 
Ainda em 2018, infelizmente, é perceptível as consequências das atitudes de anos atrás. Dados do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro mostram que dos 6,8 milhões de analfabetos em todos o país, 71,6% São negros mais que o dobro em relação a população branca. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os negros representam 53,6% da população, mas eles representam apenas 17,4% da parcela mais rica do país. O IBGE divulgou também que em 2015 apenas 12,8% dos negros chegaram ao nível superior, número equivalente a menos da metade dos jovens brancos. Ademais, entre os 10% com os menores rendimentos do país, ou seja, com rendo de 401 reais, a parcela da população negra chega a 78,5%.