08 março 2018

MANIFESTO DO CENTRO ACADÊMICO DE DIREITO EDSON LUÍS SOBRE O DIA INTERNACIONAL DA MULHER

O Dia Internacional da Mulher é um outro dia de luta, de uma luta que dura todos os dias. É a luta da mulher que já nasce sendo diminuída, sendo desacreditada. É luta das mulheres que precisam se esforçar duas vezes mais para conseguir exatamente o mesmo que os homens. É a luta de quem precisa trabalhar e cuidar da família. É a luta de quem tem pouca representatividade na política, de quem ainda recebe cerca de 30% a menos que os homens para exercer a mesma função, de quem sofre violência doméstica, de quem sofre violência sexual. 
    É também a luta das estudantes. Das estudantes que ainda escutam piadas machistas nos corredores da Faculdade. Das estudantes que não se sentem seguras ao caminhar pela Universidade por medo da violência. Das estudantes que são assediadas dentro de sala de aula por professores. Das estudantes mães que são incompreendidas por professores que diversas vezes não tem a sensibilidade para entender a dificuldade que é conciliar a maternidade com um curso de graduação. É dia de luta das estudantes que todos os dias sofrem assédio de professores, servidores e alunos. É luta das estudantes indígenas e quilombolas, que sofrem diversas dificuldades, além do machismo, para permanecer na Universidade. É a luta das estudantes negras que diariamente são vítimas de racismo. 
Luta de quem tem suas ideias subestimadas, de quem tem seu conhecimento posto a prova a todo instante… Todos os dias duvidam da nossa capacidade. Todos os dias homens falam por nós. A nossa voz não é ouvida. Ser mulher em uma Universidade é resistência. É se impor todos os dias para ser reconhecida enquanto pessoa ativa, dotada de inteligência e capacidade. É lutar para conquistar os espaços da Universidade. Precisamos lutar para conquistar as salas de aulas, os grupos de estudos, as pós graduações, a docência, o movimento estudantil. Lutamos por espaços que deveriam ser nossos por direito. Não são, mas nós não deixaremos de lutar. 
O Centro Acadêmico de Direito Edson Luís reconhece o Dia da Mulher como um dia de resistência. Nós, mulheres do centro acadêmico, construímos uma Comissão de Combate ao Assédio, que visa combater as diversas formas de assédio e machismo ainda existentes na Universidade. Essa luta é nossa, é de todas as mulheres! Estamos aqui para combater todas essas formas de violência. Se você foi vítima de assédio, procure o CADEL. Não vamos tolerar que mais mulheres sofram. A comissão está aberta a todas as mulheres. Venha lutar conosco.  
Basta de assédio! Basta de machismo!

0 pareceres:

Postar um comentário