25 outubro 2018

ALUNOS DE DIREITO EM LUTA PELA DEMOCRACIA


Nós, estudantes do curso de Direito da UFPA, reunidos em Assembleia Extraordinária, no dia 24 de outubro de 2018 decidimos por PARALISAÇÃO das aulas até o 2° turno.

Acreditamos que a crise política do país se agravou, há a possibilidade real de um candidato neofascista se eleger para a Presidência da República. Queremos dizer que nós discentes repudiamos todo o discurso autoritário que atenta contra a democracia, assim como, todo o discurso de ódio, seja contra mulheres, negras e negros, LGBT’s, indígenas, quilombolas e imigrantes. Lutamos para que a sociedade brasileira seja uma sociedade livre, justa e fraterna com a diversidade. Por isso, não aceitamos os reiterados ataques do candidato contra os setores oprimidos, assim como não toleramos a retórica de ameaças de prisão para seus opositores, ou de que o STF seja fechado por forças militares. Estamos aqui para defender a Democracia e o Estado democrático de direito.

Também não concordamos com a proposta do candidato de privatização do Ensino Público e cobrança de mensalidade nas Universidades Federais. Estas proposições são totalmente contrárias à bandeira histórica do Movimento Estudantil de defesa da Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade. Causaria a exclusão de milhares de jovens da rede pública de ensino, perpetuando a pobreza e a desigualdade social em nosso país. Estamos contra as políticas neoliberais, de privatização e de retirada de direitos. Iremos defender a Educação Pública, o Sistema Único de Saúde (SUS), as Empresas e o Patrimônio Nacional, assim como Direitos historicamente conquistados pela classe trabalhadora brasileira: como o direito à Férias, 13°, Previdência pública e a Licença maternidade.

Estamos aqui também para reafirmar que não queremos novos mártires estudantis. A ditadura que se instalou no golpe civil-militar de 1964, assassinou o estudante César Leite dentro da Universidade Federal do Pará. Assim como a Polícia militar executou o discente secundarista paraense Édson Luís no restaurante Calabouço no Rio de Janeiro. Não iremos aceitar qualquer hipótese de supressão das liberdades democráticas e repressão contra aqueles que lutam pelos seus direitos. Ditadura nunca mais!

Por fim, acreditamos que a única candidatura que representa a Democracia no Brasil e a defesa de Direitos sociais é a de Fernando Haddad e Manuela D’Ávila. A partir de agora, estaremos nos engajando na campanha do #ViraVoto, realizando um amplo diálogo com a população, na busca de um país livre, soberano e tolerante. Pela Democracia e por mais Direitos para a juventude, nós somos: #Haddad13 #HaddadPresidente.


Ass. Estudantes de Direito da UFPA

0 pareceres:

Postar um comentário